quarta-feira, agosto 24, 2005


Gerês Posted by Picasa
Foto para a posteridade,

Estes últimos dias têm sido muito complicados... Nem me apetece escrever!
Não sei se Portugal está de luto, mas eu estou. Estar de luto é estar assim triste, angustiada, sabendo que se perdeu qualquer coisa de muito importante; é sentir-se impotente; é sentir a nossa verdadeira dimensão. . . É também esta indignação que não calo, mas não remedeia; olhar à minha volta e constatar que a maior parte de nós não pensa, não sente, não entende ou então, simplesmente, não fala... por medo ou porque ninguém os ouve?... constatar que a maior parte de nós nada faz para contrariar os Fados e se rende à inevitabilidade de uma trágica preDestinação...
O país ainda arde, as florestas queimadas ainda agonizam, os velhos e as crianças ainda guardam no olhar o terror desse inferno de chamas que os desabrigou e ainda os que sabem choram os que morreram nesse combate desigual contra o fogo que destruiu também árvores, algumas mais velhas que o mais idoso dos anciãos, vegetação e inúmeros animais apanhados na fuga... e já surgem as primeiras notícias acerca dos "negócios do fogo", já se faz desses cenários de destruição um espectáculo!...
Para além deste intenso odor a madeira queimada, está-me mesmo é a cheirar a política de terra queimada...
Valha-nos o Todo Poderoso!

4 comentários:

Tiago Torres da Silva disse...

estamos todos de luto. e já não é o país que arde, somos nós próprios que estamos a arder.
abraços

Anónimo disse...

Faço minhas as palavras do Tiago...
Valeria mendez

Takitali disse...

E depois do adeus...
aDeus!
Seja benvinda a cantar. Cantar é viver. E o enigma é, simplesmente, nascer.

Portuguesa deprimida disse...

E depois da Terra Queimada o que vem a seguir?
O Salvador?
O D. Sebastião?
Quem souber que diga.
E seja benvindo quem vier por bem...
adeus