segunda-feira, fevereiro 28, 2011

ZÉ FREIRE - "Meio-dia da Vida"



Gosto de tudo quanto Zé Freire canta; e como canta! Que voz e quanto sentimento!
Tive oportunidade de o lembrar anteriormente com este fado e com estoutro
Hoje, poucos dias após a sua morte, é com saudade que volto a recordá-lo, interpretando este fado, de A. Gil e de Hermano da Câmara.

"O meio dia da Vida
A sombra diminuída
Quanto a sombra pode ser
Tudo é luz e esperança ainda
Digam se há hora mais linda
P'ra parar e p'ra morrer
... ... ... ...
Morte amiga, a que ela teve
Chegou-se tão ao de leve
Caminhou tão devagar
E feriu-a tão de repente
Tão suave e docemente
Que a matou sem a magoar"

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

"O FADO, A GUITARRA E EU" - João Cabral

A GUITARRA

video

Gravado ao vivo na "Fragata Real", este fado, interpretado por João Cabral, acompanhado à guitarra por António Parreira e Nobre Costa e à viola por Francisco Gonçalves e Raul Silva, tem letra de Domingos Gonçalves Costa e música de Adelino I. Santos.

sábado, fevereiro 19, 2011

"Ciúmes de Guitarra" - ADA DE CASTRO

Plat.

A GUITARRA
video
"Ciúmes de Guitarra", da autoria de Artur Ribeiro e de Casimiro Ramos, é o fado que Ada de Castro interpreta, acompanhada à guitarra por Francisco Carvalhinho e António Chainho, à viola por José Mª Nóbrega e à viola solo por Martinho d'Assunção (Jr.).
POST-SCRIPTUM
Recebi, ontem, de um amigo "fadistófilo", uma muito pertinente questão acerca da autoria do fado em que Ada de Castro interpreta esta letra de Artur Ribeiro, o "Fado Margarida". A resposta que dei foi a seguinte:
-Acerca das autorias, já sabes que indico as que constam dos discos, embora algumas com erros, que por vezes revelo, outras não... De facto, o Casimiro Ramos é irmão do Miguel Ramos e ambos são autores de fados http://www.jose-lucio.com/Fado/Autores.htm e daí haver por vezes alguma confusão... Neste caso, acho que é mesmo o "Margarida" que, tanto quanto sei, foi composto pelo violista Miguel Ramos, irmão do Casimiro, para a Margarida Pereira - "Fado Margarida" http://fadoteca.blogspot.com/2009/12/margarida-flor-do-fado.html Mas isto sou eu a falar... -
E era!... porque, há bocado, tentando responder a outra questão de um outro amigo do Fado, deparei-me, num manual de referência - "Notas de Música", da col. "Um Século de Fado", da Ediclube -, com a informação de ser, o Fado Margaridas, da autoria de Casimiro Ramos... Será que houve qualquer correcção ao documento de 1935 que eu não tenha visto?! Provável... Se assim for e alguém souber, muito agradecida ficaria pelo esclarecimento e prova, a bem da Cultura... Acerca destes e de muitos outros importantes assuntos, deveriam pronunciar-se consistentemente os que, afinal, parece preocuparem-se com as autorias, mas particularmente noutra vertente, a qual, contudo, tem tudo a ver com esta... é que há obras onde se indica o Casimiro Ramos como autor deste Fado, noutras o seu irmão Miguel... afinal, a quem cabem os direitos?!... Bem, neste caso, até nem importará grande coisa; sempre fica tudo em família!...

sábado, fevereiro 12, 2011

"Guitarras da minha vida" - Natércia da Conceição

A GUITARRA
video


Acerca da Guitarra Portuguesa, diz quem sabe:

"...A «guitarra portuguesa» está actualmente ligada indissoluvelmente e fundamentalmente ao fado (com acompanhamento de violão), tanto na sua forma de Lisboa como na de Coimbra , mas essa ligação parece na verdade ser um facto recente . No fado corrido, ela faz simplesmente o acompanhamento do canto; quando não há cantor, o guitarrista fantasia variações sobre o tema, abandona-se á inspiração do momento, borda floreios e ornatos. Nos seus primórdios, porém, ela parece ter sido um instrumento da burguesia, que servia qualquer género musical, «sonatas», «minuetos» , « marchas» , «contradanças» (Silva Leite) e « modinhas», em substituição do cravo e outros instrumentos para entretenimento de uma assembleia com dispensa de uma orquestra; era pois , então, um cordofone de sala, e o próprio Silva Leite escreveu para ele (com mais um violino e duas trompas) várias sonatas, em 1792 ;..." (daqui)

Eu, que de tudo só sei o quanto gosto, sei que mais gosto do Fado ao som da guitarra portuguesa, esse magnífico instrumento musical que o poeta Jorge Rosa celebra neste fado, interpretado por Natércia da Conceição, com música de José Marques do Amaral.