sábado, dezembro 28, 2013

A TROUPE "PORTUGALIA"

D.L.

Quando se fala na divulgação do Fado, seria talvez bom não esquecer aqueles que, antes de nós, o fizeram com tanto ou mais empenho e profissionalismo quanto os que depois o realizaram... e, quem sabe, com menos interesses económicos!
A Troupe "Portugália", a que se reporta esta notícia de 1923, liderada por dois Augustos, o Gomes e o Soares, é um desses casos notáveis. Creio que, tal como eu, poucos conhecerão os nomes de todos os artistas referidos, embaixadores da nossa Cultura, em terras lusas e estrangeiras, particularmente da então designada canção nacional, o nosso Fado; mais conhecidos serão os nomes do poeta Avelino de Sousa e do maestro Alves Coelho.
Aqui fica uma notícia velhinha, repescada de um jornal que já fez 90 anos, tal como o acontecimento que, de tão importante, foi noticiado... para memória futura.

domingo, novembro 03, 2013

domingo, outubro 20, 2013

ANTÓNIO MOURÃO


(In "O Fado e as Toiradas em Portugal", de A. Martins Rodrigues, 1969)

Partiu o fadista da "Nova Vaga" que há muito se retirara dos palcos e "tablados" por razões que algum dia a História contará... O cantador que alguns (como o consagrado Filipe Pinto) consideraram não ser  um "fadista castiço", mas que outros fadistólogos (caso do poeta Lopes Victor e do locutor Rui Castelar) assim julgaram com toda a propriedade. António Mourão, gostasse-se ou não do género, tinha aquela voz que o Fado requer e o Menor exige, aquela voz inconfundível que apaixonou legiões de admiradores e levou, na altura, muitos jovens para o Fado. Essa é a Voz que já aqui lembrei, a Voz em que vibraram a poesia e a música de grandes autores e compositores,  a herança e a lembrança deste Fadista autêntico que hoje recordo nesta interpretação de "Eu tenho pena de mim", um poema de Mário de Sá Carneiro com música de  Fontes Rocha

video
  

sexta-feira, setembro 27, 2013

segunda-feira, setembro 09, 2013

Na MOURARIA - CAMILLA WATSON

Da exposição de  RETRATOS DO FADO, que alinda a velha Mouraria, eu diria, parafraseando Pessoa: primeiro estranha-se, depois entranha-se...

Estranha-se, primeiro, este trabalho este tributo esta paixão de quem, não sendo portuguesa, assim se dá e nos dá a conhecer melhor ao mundo
Entranha-se-nos, depois, a Mouraria em cada Retrato do Fado 
Obrigada, Camilla Watson, por tanto gostar de nós
É especialmente para si este Bairro eterno onde reside A grandeza do Fado


quinta-feira, agosto 22, 2013

La Goya em Alfama


D.L.

"...Largo de D. Rosa. Havia adrede uma locanda, uma taverna «falada».
... A taverna fora uma egrejinha...."
Esta locanda, onde La Goya e seus igualmente notáveis acompanhantes foram sentir o fado, não será, porventura, a actual M... d. F..... ?  :)

terça-feira, julho 02, 2013

JÚLIO DE SOUSA



Recordar Júlio de Sousa em toda a sua magnitude de artista multiforme, como escultor, pintor, desenhista, caricaturista, poeta e compositor de tantos fados que se tornaram célebres, é o propósito do novo espaço, inteiramente dedicado ao autor de dois dos mais recantados / recriados fados - "LOUCURA" e "SAUDADE, VAI-TE EMBORA".
É certo que já aqui, por diversas vezes, o tinha lembrado; porém, a dimensão do artista, o interesse no conjunto da sua Obra,  a quantidade de documentos que tenho vindo a reunir e, igualmente, a pouca atenção e realce com que tem sido (des)tratado, justificam este espaço que lhe dedico, que não pretende ser mais do que uma singela homenagem ao grande e multifacetado artista, que foi, afinal, um genuíno fadista!


sábado, junho 15, 2013

MANUEL CARDOSO DE MENEZES - "O Chico da Mouraria"

Quintas de Fado - Fado Rainha

Quando, neste blogue, voltei a lembrar Saudade dos Santos, em verbete de 2011, fi-lo precisamente com "O Chico da Mouraria".
Qual não foi o meu contentamento ao verificar ter sido este um dos fados escolhidos por Manuel Cardoso de Menezes, para os Ensaios da última 5ª no "A Nini", gravado para o MFT, do canal 4FadoLisbon do YouTube; um agradecimento e ovação a Manuel Cardoso de Menezes, que também já aqui homenageei, não só por esta sua preciosa interpretação, mas particularmente pelas informações  acerca das autorias, uma vez que no fonograma da Saudade dos Santos é indicado, como em tantíssimos outros casos, "Popular", para a autoria, quer da letra, quer da música, como, de resto, acontecia e acontece, quando se desconhece o nome dos autores/compositores... Também não admira, esta ignorância! Os jornais da especialidade, tais como a Guitarra de Portugal, a Canção do Sul, a Trova de Portugal..., que tanta informação têm acerca do Fado, continuam fechados a sete chaves, i.é., não só não são disponibilizados on line, como são de custosa consulta nos locais onde a informação deveria estar à disposição dos cidadões, perdão, cidadãos...; por isso é sempre tão útil  ouvirmos aqueles que sabem, fruto da experiência de muitos anos de Fado vivido e do estudo.
Ora digam lá se isto não é cantar ao Fado!

quinta-feira, maio 16, 2013

DANIEL GOUVEIA - "Cuidado, louca gaivota"

Quintas de Fado - Fado Daniel

Daniel Gouveia, investigador de Fado, com Obra publicada, é também o compositor deste Fado, um dos meus preferidos que, por isso, já aqui tinha destacado, na interpretação de Linda Leonardo, com uma letra de Tiago Torres da Silva. 
Mas, agora, que o 4FadoLisbon registou este momento singular, não poderia deixar de o partilhar convosco.
Daniel Gouveia não só nos conta como nasceu este Fado, como o interpreta, na sua versão original - a história que ficará para a História que o JM vai assim "escrevidendo"...
Mais uma vez, Parabéns por este Fado, Daniel! Grande interpretação duma criação duplamente tão inspirada!


quinta-feira, abril 25, 2013

"Povo acima dos partidos" - JOÃO DIAS


João Dias é um dos meus preferidos poetas de fado. Um poeta que me parece bem homenagear no dia de hoje e com este fado. Nunca as palavras do Poeta terão sido tão a propósito... Aqui fica, pois, neste conturbado 25 de Abril, este Fado que dedico particularmente ao Parlamento e ao P.R., a lembrar que o povo, a Pátria, está acima dos partidos, pormenor de que parece ter-se esquecido o Presidente que devia ser de todos os Portugueses...
As palavras são de João Dias, o "poeta maldito". Dele, lembro alguns dos seus mais conhecidos fados "Ovelha negra", Rosa da Madragoa", "Eu sou povo e canto esperança" e muitos outros, mas hoje, acima de todos, recordo este "Povo acima dos partidos", interpretado por Rodrigo numa música de José A. Sabrosa,  sublinhando ainda que o Fado é muito mais do que a "cantiga da desgraçadinha", embora, de facto, nos encontremos presentemente numa completa desgraça!... Afinal, o Fado é, por vezes, também uma canção com mensagem...
 Rodrigo é acompanhado pelas guitarras de António Chainho e Nobre Costa, a viola de José Mª Nóbrega e a viola-baixo de Raúl Silva.

domingo, março 31, 2013

FADO LOUCURA - O SEU A SEU DONO !
















Há bocado, estava ali a ler as declarações de um fadista com grandes responsabilidades, porque é uma referência, e fiquei surpreendida; afirma ele que o fado Loucura, da autoria de Júlio de Sousa, foi o primeiro que cantou porque era um fado de sua mãe...
Ora, que eu saiba, a mãe do referido fadista só começou a cantar uns anos após Berta Cardoso, já esta era primeiro nome de cartaz e merecera o cognome de "A Loucura dos Fadistas", exactamente devido à sua brilhante intrepertação daquele fado - "Berta Cardoso fez do Fado da Loucura uma verdadeira loucura..." (in Guitarra de Portugal, nº 211, 1930) !...
É lamentável que, pelo menos, não se respeite a verdade histórica ... Já que, por qualquer obscura razão, se teima continuadamente em omitir o nome de uma das maiores fadistas do séc. XX: Berta Cardoso.

(Clique sobre a imagem, para ampliar)

(verbete de 29.12.2005, reeditado)

MARIA ALICE - "Fado Loucura"



Vem este brevete a propósito do mais recente verbete do blogue "Soldado do Fado" onde nos é dado ouvir um dos fados das primeiras gravações, entre 1929 e 1931, de Mª Alice, disponibilizado em CD na Colecção "Arquivos do Fado", pela Tradisom; o fado "Vida Triste", tem letra de J.F. de Brito e é, nem mais nem menos, do que o Fado Loucura, música de Júlio de Sousa.



Aqui se confirma o que afirmei no meu anterior verbete, de Dezembro de 2005, e agora ratifico, acrescentando que seria de todo impossível ser este um fado de Lucília do Carmo, que o gravou, é certo, mas que só começou a cantar uns anos após a criação deste fado e cuja criadora também não foi Berta Cardoso, apenas foi a voz que o tornou mais conhecido e que mais conhecida ficou através dele. Os senhores estudiosos e investigadores de Fado, que muitos já são, sabem por certo a quem me refiro...
Como ora sói dizer-se, isto é assim e contra provas, não há argumentos... e provas há!
Relativamente às biografias, desta/e e doutras/os fadistas, que pululam em diversos blogues, sem devidamente indicar, em grande parte dos casos, a proveniência, as fontes, e que eu, ora transcrevo indicando o blog, ora linko, quase todas têm como fonte, ou o precioso livro de Victor Machado, editado em 1937, ou, noutros casos, a esforçada obra de Eduardo Sucena, de 1992; esta situação verifica-se igualmente a nível editorial, o que é mais grave, em obras posteriores àquelas datas, em que as biografias apresentadas pouco têm de investigação ou de inovação; são, praticamente, pouco mais do que cópias daquelas! Sei do que falo...
A assim ser, aqui têm a biografia de Mª Alice, a verdadeira, a elaborada por Victor Machado e constante do seu livro "Ídolos do Fado", a que aqui já me referi e a que agora volto a fazer referência... 
Nunca será demais!...
(verbete de 23.08.2009, reeditado)

"Saudade, vai-te embora" - JÚLIO DE SOUSA


VÍDEO DE HOMENAGEM
video

Creio que poucos conhecerão este registo fonográfico de Júlio de Sousa, interpretando uma das suas composições de maior êxito "Saudade vai-te embora"... Vem este vídeo a propósito do dia de hoje, em que Berta Cardoso, a sua intérprete de eleição, comemoraria o seu 98º aniversário.

(verbete publicado em 21.10.2009, reeditado)

DINA DO CARMO - "Oferece o teu amor"

VÍDEO DE HOMENAGEM

video
OU

Com este fado, do multifacetado artista Júlio de Sousa (1906-1966), que foi igualmente um notável letrista e compositor de Fado, lembro a criadora de um outro fado - "À Beira do Cais", a fadista Dina do Carmo.


(verbete publicado em 26.12.2009, reeditado)

SANDRA CORREIA - "Loucura"



Às vezes até pode parecer que vivo noutro tempo..., mas não!, claro que também conheço e admiro alguns dos actuais fadistas... como é o caso desta jovem Sandra Correia que aqui tão bem interpreta esse sempre fantástico "Fado Loucura", um pilar do Fado, e cujo trabalho pode ficar a conhecer melhor aqui e aqui. É mesmo do Fado, esta fadista do Norte!

(verbete de 30.01.2011, reeditado)

CARLOS BASTOS - "Chaves da Vida"



video

No Fado Varela, de Reinaldo Varela, Carlos Bastos interpreta "Chaves da Vida" de Júlio de Sousa

(verbete de 20.08.2011, reeditado)

"Loucura" - FRANCISCO JOSÉ


video

O fado "Loucura", de Júlio de Sousa, interpretado por Francisco José.


D.P.1950

(verbete de 12.09.2011, reeditado)

O FADO EM TRAPO


Pan.42

Já aqui lembrei, por várias vezes, Júlio de Sousa (1906 - 1966), esse artista multifacetado, autor de fados célebres, tais como "Loucura", "Sou do Fado", "Saudade, vai-te embora...", "Vim para o Fado...", "Chaves da vida", "Caminhos", "Não digas a ninguém"...
Volto hoje a recordá-lo na sua faceta, talvez menos conhecida, mas não menos importante, de caricaturista e escultor (em trapo)
Sec.Ilust.47

E, outra vez, o "Loucura", agora interpretado pela castiça Maria Emília



(verbete publicado em 22.06.2012, reeditado)

quarta-feira, março 06, 2013

"LOUCURA"


D.L., 1933

Gostaria de não me tornar enfadonha por vir lembrar, uma vez mais, esse "rapaz, pálido e romântico, de camisa negra à italiana, que pouco fala e aparece, sem camaradagens que o exaltem, nem amigos que o façam triunfar", mas, se o faço, é porque ele "merece, como poucos, a classificação de artista, hoje tão banalizada e desfigurada."... Um artista polimórfico, um esteta, um solitário.
"A sua alma profunda, de silenciosa sensibilidade", o seu talento, legaram-nos fados que continuam a ser verdadeiros êxitos e, se é possível dizê-lo, autênticos ex-libris fadistas.

Dos que já aqui lembrei, volto a recordar o "Fado da Loucura", de que Mariamelia, sua irmã, foi a criadora e gravou, fado cuja letra é de Frederico de Brito, mas cujo refrain é de Júlio de Sousa, igualmente autor da música. Como também já referi em verbete anterior, este fado veio a tornar-se um enorme êxito, não pela voz da sua criadora, mas pela de Berta Cardoso, que "fez do «Fado da Loucura» uma verdadeira loucura" e, por isso, lhe chamaram "A loucura dos fadistas". Depois dela, muitos outros/as cantaram esse fado e cantam ainda. Relembremo-lo, porém, nas interpretações de Lucília do Carmo e de Fernando Maurício.











Ora acontece que, dado o espantoso êxito obtido, Júlio de Sousa terá escrito, para Berta Cardoso, outra letra para esta sua música em que a fadista era exímia. Berta foi, pois, não só a grande especialista do Fado da Loucura, como igualmente a criadora desse fado com a letra que muitos fadistas também têm cantado e gravado e que aqui vamos lembrar interpretado por Mariza e por Carlos Zel




Depois, e à semelhança do que acontece com muitos outros fados, outras letras incorporaram a música do "Loucura"; por exemplo, o Britinho, co-autor da letra original, como já referi, escreve, para a Mª Alice, a letra "Vida Triste", que podem ouvir aqui.

Mas, a verdade é que, até hoje, quando se fala no "Loucura" ou no "Fado da Loucura" se associa de imediato a este fado as letras que Júlio de Sousa escreveu, seja a sós, seja em co-autoria. E interessante é verificar que, quer o "É loucura...", quer o "Sou do fado...", têm vindo a fazer parte do repertório de grande parte dos fadistas e, mesmo quando isso não acontece, todos acabam por ceder à tentação de cantá-lo, como se fosse, digamos assim, um fado obrigatório. De facto, haverá letra que melhor apresente um/a fadista ?

Sou do fado como sei, / Vivo um poema cantado / Dos fados que eu inventei.

«É Loucura» oiço dizer / Mas bendita esta loucura / De cantar e de sofrer

Assim parece ser, mesmo para os estrangeiros que cantam o Fado



(Verbete de 20.05.2011 reeditado)