quinta-feira, maio 28, 2009

CARMENCITA AUBERT




















"Nestes olhos bem espanhóis, há a nostalgia do fado lusitano"
Nascida em Espanha - Barcelona, Carmencita / Carmelita Aubert morreu em Portugal, em 1979, país que adoptou e escolheu para viver durante uma parte significativa da sua vida.

Figura de 1º plano do Teatro e da Canção, em Espanha e em Portugal, Carmencita Aubert também cantava o fado; infelizmente, não tenho qualquer registo de fado da Aubert nem imagino se haverá; podemos contudo ouvi-la interpretando os tangos "Mi vida" e "Un compadrito fue" aqui http://www.todotango.com/english/creadores/caubert.asp
acompanhado de uma nota biográfica.
Também muito interessante e esclarecedor o artigo da Canção do Sul...
Aqui fica a minha homenagem a esta Catalã de alma Lusa, de quem Berta Cardoso, sua contemporânea, falava com muita admiração e carinho.

sábado, maio 16, 2009

VASCO RAFAEL - "Que fazes aí Lisboa"


"Que fazes aí Lisboa", da autoria de Arlindo de Carvalho e de Mário Gonçalves, a recordar Vasco Rafael.
"Vasco Rafael Simões de Sá Nogueira, nasceu em Angola na província de Moçamedes.
Começou com cançonetista, tendo um início de carreira difícil, até que é convidado de um espectáculo publicitário que se realizava num dos cinemas de Luanda, “Chá das Seis” onde começa a ser notado e vem a atingir um assinalável êxito.
Vem para Portugal e sente as dificuldades de um novo inicio de carreira. Beatriz da Conceição apresenta-o a uns empresários no Porto e lá fica a actuar durante cerca de um ano, é no Porto que grava o seu primeiro disco.
Vem para Lisboa contratado para o elenco do “Painel do Fado”, seguidamente é convidado por Sérgio de Azevedo para actuar no “Frou Frou” , agradou ao empresário que logo o convida para a revista “Ó da Guarda”, onde obtém o seu maior êxito de sempre com o Fado “ROSEIRA BOTÃO DE GENTE” com letra de José Carlos Ary dos Santos e música de Paulo de Carvalho, gravado em 1981 para Rádio Triunfo
Faz ainda parte do elenco da revista “A Aldeia da Roupa Suja”, mas deixa as revistas porque acha que o prendem muito tempo no mesmo local.
Tem algumas deslocações ao estrangeiro.
Já com poetas de relevo a escreverem para ele, realçando Ary do Santos, Vasco de Lima Couto, etc. grava mais uma série de EP e LP.
É contratado para as Arcadas do Faia, onde se mantém até à sua morte prematura.
Estejas onde estiveres Vasco Rafael, recebe esta pequena homenagem da “Linhagem Marceneiro”"

in lisboanoguiness
VÍDEO DE HOMENAGEM
video

quinta-feira, maio 14, 2009

JAIME SANTOS E MIGUEL RAMOS

















Um apontamento sobre estas duas grandes figuras do Fado - o guitarrista Jaime Santos e o violista Miguel Ramos.




















E dois sonetos da autoria do fadófilo, jornalista e poeta ARMANDO NEVES, autor, entre muitas outras, das letras dos Fados "A Cruz de Guerra" e "Fado Berta", ambos musicados por MIGUEL RAMOS, do repertório de BERTA CARDOSO.

sábado, maio 09, 2009

ANITA GUERREIRO - "Senhora da Saúde"

Plat.

Nota biográfica:
Uma das atracções mais típicas e queridas da revista, Anita Guerreiro continua ainda hoje a trabalhar e a ser uma autêntica preferida do público, embora actualmente na televisão, onde participa regularmente em telenovelas e séries de comédia. Tal como muitos outros, Anita Guerreiro começou, com apenas sete anos, por ser uma das "miúdas", fadistas infantis que ficavam identificados com o bairro de onde vinham - sendo "a miúda do Intendente", bairro onde nasceu em 1936. Com apenas quinze anos de idade, em 1952, Anita Guerreiro (nome artístico, pois o seu verdadeiro nome é Bebiana Cardinalli) concorria a um passatempo do popular programa radiofónico Combóio das Seis e Meia. Espantado com o que ouvia, o produtor do programa, Marques Vidal, convidou-a imediatamente para se juntar ao elenco e, poucas semanas depois, estreava-se como fadista no Café Luso. E antes de completar os vinte anos, era já vedeta de revista, género em que se estreou em 1955. A Anita Guerreiro se deve a criação de um fado-canção que ficou na boca do povo e até Amélia gravou: Cheira a Lisboa, que criou em 1969 na revista Peço a Palavra. Ironicamente, pouco depois desse sucesso colossal, Anita Guerreiro afastou-se da revista durante mais de uma década, apenas regressando em 1982. Manteve-se entretanto activa como fadista, cantando em casas de fados e actuando no estrangeiro.
Com letra de Francisco Radamanto é este fado que Anita Guerreiro interpreta no Fado Alcântara, de Raul Ferrão - "Senhora da Saúde", a Nossa Senhora do Fado!
Vídeo de Homenagem
video

quinta-feira, maio 07, 2009

LEMBRAR FERNANDA BAPTISTA





“Eu sou Fernanda Baptista
nasci para o Fado e para a Revista”



FERNANDA BAPTISTA, FADISTA E ACTRIZ,
NASCEU NA FREGUESIA DE SANTA CATARINA, EM LISBOA, A 7 DE MAIO DE 1919. COMEMORARIA ESTE ANO, SE FOSSE VIVA, 90 ANOS DE IDADE. 65 DELES DEDICOU-OS AO QUE MAIS GOSTAVA DE FAZER CANTAR O FADO E FAZER TEATRO DE REVISTA.
DEIXOU-NOS A 24 DE JULHO DE 2008, FICANDO O PANORAMA ARTÍSTICO MAIS POBRE.
PARA ASSINALAR A PASSAGEM DO SEU 90º ANIVERSÁRIO MIGUEL VILLA E A JUNTA DE FREGUESIA DE SANTOS-O VELHO NA MADRAGOA ,IRÃO APRESENTAR UMA EXPOSIÇÃO COM O TITULO
“EU SOU FERNANDA BAPTISTA, NASCI PARA O FADO E PARA A REVISTA” COM INAUGURAÇÃO MARCADA PARA O PRÓXIMO DIA 25 DE MAIO PELAS 18H NO ESPAÇO DE EXPOSIÇÕES DA CITADA JUNTA -(RUA DA ESPERANÇA 49-LISBOA)
A EXPOSIÇÃO, COMPOSTA POR ESPÓLIO DE MIGUEL VILLA, RECORDARÁ O PERCURSO DA FADISTA AO LONGO DE 65 ANOS DE CARREIRA ARTÍSTICA COM FOTOS DE CENA, CARTAZES CARICATURAS DA FADISTA, GUARDA ROUPA E ADEREÇOS VÁRIOS. A EXPOSIÇÃO FICARÁ PATENTE ATÉ 28 DE JUNHO, DIARIAMENTE, ENTRE AS 14 H E AS 19H E TEM ENTRADA LIVRE.

FERNANDA BAPTISTA A CRIADORA DO TEMA “FADO DA CARTA” TEVE UM CARREIRA PREENCHIDA E CHEIA DE SUCESSOS NO TEATRO DE REVISTA COMO ATRACÇAO E TAMBÉM COMO ACTRIZ. PARTICIPOU EM 48 REVISTAS, 2 COMÉDIAS E 3 OPERETAS. FEZ AINDA UMA PARTICIPAÇÂO ESPECIAL NO FILME “ SOL E TOUROS” AO LADO DE AMÁLIA RORIGUES E MANUEL DOS SANTOS.
ESCREVERAM PARA ELA OS MELHORES AUTORES E COMPOSITORES DA ÉPOCA COMO JOÃO NOBRE , EDUARDO DAMAS OU MANUEL PAIÃO SÓ PARA CITAR ALGUNS.
FEZ IMENSAS DIGRESSÕES AO ESTRANGEIRO ATINGINDO SEMPRE GRANDE SUCESSO.
A SUA PRESENÇA NA TELEVISÃO FOI ENORME AO LONGO DOS ANOS PARTICIPANDO EM VARIADÍSSIMOS PROGRAMAS.
FOI MADRINHA DE VÁRIAS MARCHAS POPULARES INCLUINDO NOS ÚLTIMOS ANOS MADRINHA DA MARCHA DA MADRAGOA, FICANDO MESMO DEPOIS DE JÁ NÃO DESFILAR COMO MADRINHA HONORÁRIA.
EM 1996 TEVE NO TEATRO SÃO LUÍZ A SUA FESTA DE CONSAGRAÇÃO
E EM 2005 RECEBE NO MESMO PALCO DAS MÃOS DO ENTÃO MINISTRO DA CULTURA A COMENDA DE ORDEM DE MÉRITO,NO TEATRO POLITEAMA A 27 DE DEZEMBRO DE 2005 FOI DESCERRADA UMA PLACA COMEMORATIVA DA SUA PASSAGEM PELO MUSICAL DE FILIPE LA FERIA “A CANÇAO DE LISBOA”
EM FEVEREIRO DE 2008 NA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA RECEBE PELAS MÃOS DO PRESIDENTE DA CÂMARA A MEDALHA DA CIDADE DE LISBOA.
DESPEDIU-SE DEFINITIVAMENTE DOS PALCOS NUMA PARTICIPAÇÃO ESPECIAL A CONVITE DE FILIPE LÁ FERIA NO PALCO DO TEATRO POLITEAMA NO MUSICAL “ A CANÇÃO DE LISBOA” EM 2005/6.
ESTA EXPOSIÇÃO CONTA COM O APOIO DA JUNTA DE FREGUESIA DE SANTOS-O-VELHO,TEATRO MARIA VITÓRIA E TEATRO POLITEAMA


PARA MAIS INFORMAÇÕES, MARCAÇÃO DE ENTREVISTAS PARA PROMOÇÃO E DIVULGAÇÃO DESTA EXPOSIÇÃO
CONTACTE MIGUEL VILLA
TLMS
91 727 15 11
96 497 29 94

OU POR MAIL

MIGUELVILLA@IOL.PT


DESDE JÁ OBRIGADO PELA ATENÇÃO DISPENSADA
CONTO COM O VOSSO APOIO NA DIVULGAÇÃO E PROMOÇÃO.

MIGUEL VILLA




Agradeço o contacto de Miguel Villa, editor do fotolog
que me enviou o cartaz e o texto acima, assim possibilitando a divulgação da exposição sobre esta grande figura do Fado e da Revista que hoje, uma vez mais, lembro, interpretando o "Fado do Toureiro", de Amadeu do Vale e de Raul Ferrão
VÍDEO DE HOMENAGEM

video

sábado, maio 02, 2009

JOÃO CASANOVA - "Quero que sintas que te quero"



















João Casanova, 40 anos de carreira, um veterano no fado!

A homenagem, que promete ser um excelente espectáculo de fado, realiza-se no Forum Lisboa, no próximo dia 10, das 15h às 20h., contando com a participação de vários fadistas e instrumentistas, cujos nomes pode visualizar melhor, clicando na imagem, para ampliar. O custo por bilhete, segundo me foi dito, é de 10 euros , podendo ser adquiridos nos locais indicados no cartaz.
Até lá, vamos recordando João Casanova, a interpretar este seu clássico, da autoria de Carlos Alberto C. Gonçalves.
VÍDEO DE HOMENAGEM

video