segunda-feira, setembro 27, 2010

"Ouvi dizer"




MARIA GALVANY sings "Ouvi dizar" by Julio Neuparth--FADO PORTUGUEZ--Victor record 87061, recorded May 12, 1908. BRILLIANT singing & a BRILLIANT recording. Contrary to what you're thinking, some of you night recognize the latter part of this song, which is very beautiful and lively.

This disc was never released in the U.S., which explains why it's generally UNKNOWN.

In Dec. 2008, the composer's great- grandson, Antonio Neuparth Sottomayor, sent an email from Portugal that included a picture of Galvany and the 1903 program where the song was introduced to the public. FADO was written FOR Maria Galvany.

Galvany made 22 "G & T Victor" recordings, most of which were not in U.S. catalogs.

Marisa Galvany (1878-1944), one of the most dazzling coloratura sopranos who every lived, was born in Granada and studied at Madrid Conservatory.

She made her debut as Lucia at Cartagena in 1897. Specializing in coloratura roles, she sang with great success in Spain and Italy, gaining her greatest popularity in South America. She also toured with a company that performed throughout Europe, including Russia, where she was a favorite singer.

In London in 1909, she appeared at Drury Lane as Amina, Rosina, and in the title role of Meyerbeer's Dinorah. In Lisbon she sang uninterruptedly for 15 years at the Coliseu.

She gained great success in Parma, Venice, and Genoa. Galvany NEVER appeared at La Scala, the Met, the Teatro Cólon, or Covent Garden.

She retired to Brazil, taught for a period, and died there in poverty. (Daqui)

Acerca do autor:

(Rev. Occidente 1901)

sábado, setembro 25, 2010

"BICHINHA GATA"

I.P.

Partitura de um dos fados desta revista, o "Fado da Amargura".


"Nas revistas portuguesas, o fado é inevitável. O fado é a cocaína do nosso povo"

O nosso povo, agora, parece preferir outras cocaínas..., mas que o Fado voltou a estar na moda, lá isso!... o que muito apraz a todos os oportunistas e aproveitadores... Já agora, pelo menos, que dele se não pudesse augurar a desnacionalização, como Oliveira Martins o faz acerca do futuro da revista portuguesa , mas que, a mim, me não lembra outra coisa, lá isso!...

O futuro, já nem digo, mas também; agora, a origem, valha-me Deus!... Mas é a tal coisa que o povo diz e com razão "Quem te manda a ti, sapateiro, tocar rabecão"?!... Depois, levamos "Gato por lebre", é o que é!...

E se lessem primeiro umas coisitas do Theophilo e da Michaëlis antes de aparecerem por aí a defender umas teorias suprapalermóides?... Era bom, era! e todos ganhávamos com isso... mas, também, assim como assim, quem se importa verdadeiramente com tal ?... Necessário é vender uns programazitos e mais uns itos e ir aparecendo, mais bacorada menos bacorada, tanto dá, para quem é bacalhau basta... e também em país de cegos quem tem olho é rei e quem se mexe bem nos bastidores dos media é que dá cartas e o resto são conversetas acerca de uma coisa que se chama democracia , mas que se passou por este país foi há muito tempo e de corrida, provavelmente a fugir dessa cambada de néscios que orgulhosamente passeiam a ignorância, presumindo que o conhecimento é saber juntar duas letras e contar pelos dedos, que pouco mais sabe muito licenciado e upa upa de hoje em dia... Havia até aí um Homem que dizia que o indivíduo mais sábio que conheceu não sabia ler nem escrever... Como o compreendo!... Quanto mais não sabiam/sabem muitos dos denominados analfabetos do que muito menino e menina mestre, doutor e tal e tal... Mas, afinal, quem se rala com isso? Quem, neste país, se preocupa verdadeiramente com o estado da instrução e cultura, se é coisa que não dá carradas de euros nem fama nem algo, como acontece, por ex., com o chuto na bola???!!!... Sim, quem se rala?... Aqui para nós, que ninguém nos ouve, para além de mim, de si, caro leitor, e do Prof. Medina, que muito admiro, não conheço mais ninguém... até mesmo porque é tão mais fácil governar esta gente!...
Sim, por certo há uma conspiração! Sim, por certo há outras maneiras de adormecer a malta, para além das cocaínas...
Que querem? É o nosso Fado!... e o Fado é tão genuinamente português que o Fado da Amargura é mesmo inevitável nesta grande Revista Portuguesa que todos estamos a viver!...

terça-feira, setembro 21, 2010

VINDIMAS e "PARREIRINHAS"

I.P.

Em tempo de vindimas, relembremos o "Parreirinhas", um fado de Mª Nelson e de Casimiro Ramos, interpretado por Mavilda Gonçalves, a recordar-nos que o vinho mais do que "o prazer celta de beber e sonhar" significa ou, pelo menos, significava "a abundância de todo o ano, a riqueza para muitos e o conforto para todos"...

sábado, setembro 18, 2010

A canção das perdidas...



I.P.

...autorias???

... do Fado?!

Um breve por exemplo de duas dessas quadrinhas "das perdidas", que se cantam em Fado, porém desenquadradas deste contexto (se bem que não completamente) e autoria (completamente) e noutros integradas... Não sei se me faço entender...

video

Dos fados "Mª Madalena", por Lucília do Carmo e "A mais linda mulher", pelo Júlio Peres.

(A propósito, reparei que, num dos blogues sobre fado, que entendo aqui não dever nomear, vem erradamente indicado como sendo Carlos Zel o intérprete de "A mais linda Mulher", em vez de Júlio Peres, embora as vozes nem sejam confundíveis... enfim, numa confusão ou num erro, qualquer um tropeça e pode mesmo cair, mas que, depois de receber dois comentários de alerta, o autor não se tenha dado ao trabalho de proceder a verificação e emenda... Pois é, por estas e por outras...)

Perdidas, mas achadas!...

sexta-feira, setembro 17, 2010

"Lembrança é quase presença..."

Duas grandes interpretações de um mesmo fado "Vi-te há bocado", do repertório de BERTA CARDOSO, que não o gravou, nas vozes das veteranas Mª AMÉLIA PROENÇA e BEATRIZ DA CONCEIÇÃO, vulgo BIA.


Agora que, Graças a Deus, parece que a toda a gente já agrada o Fado, mesmo àqueles que há uns anos o desdenhavam ou parecia..., convém lembrar quem, em tempos difíceis, cultivou esta arte maior, mesmo que em tom menor; e, nesse grupo, por certo se incluem as fadistas que aqui lembro e também o artista plástico e poeta a quem se deve a letra, JORGE ROSA, e o músico e instrumentista, autor da música, ACÁCIO GOMES.








terça-feira, setembro 14, 2010

"CAVALINHOS"

"...Nosso amor há-de ir ao céu
Numa tipóia de praça
Puxada a dois cavalinhos"




Interpretado por Mª de Lourdes Machado, na Marcha do Marceneiro, este fado tem letra desse notável Homem de Letras que foi Norberto de Araújo

segunda-feira, setembro 13, 2010

Feira da Luz



I.P. 1922

Mais um documento para a validação da teoria da origem afro-brasileira do Fado, do ponto de vista de uma problemática inclusiva de uma etnografia contextualizante de uma super-estrutura melómana e lundúnica, assente numa perspectiva crítica da modernidade académica...

O Fado, a ceguinha e... o sexo dos anjos!... :-)