quinta-feira, agosto 28, 2008

MANUEL SIMÕES











Foi com sentido pesar que hoje tive conhecimento, através da APAF, da morte de Manuel Simões, da Estoril Discos, proprietário da Discoteca Amália, fundador e Presidente do Conselho de Administração da Fundação Manuel Simões, fundação com "fins de carácter cultural, nomeadamente a difusão do Fado como Canção Urbana de Lisboa, bem como os de beneficência e solidariedade social" (artº 5º dos Estatutos).
Tive o prazer de conhecer este cavalheiro no ano de 1992, quando reeditou uma das (como lhes chama) "intérpretes míticas" do fado -Berta Cardoso-, que já editara nos anos 50; foi com enorme carinho e também com imenso profissionalismo que foi pensado e editado esse CD- edição especial, numerada e autografada- que, penso, será o único registo comercialmente disponível da artista.
O Sr. Manuel Simões fez o favor de me distinguir com a sua amizade e granjeou a minha; Lembrá-lo-ei sempre e a minha admiração perdurará por esse homem sabedor, empreendedor, simples, honesto e apaixonado pelo Fado que sempre soube ser.
Creio que é importante termos uma imagem do homenageado; a única foto que tenho de Manuel Simões é integrado em grupo, sendo o 5º a contar da esquerda; encontra-se acompanhado de João Capela, Pedro Moutinho, Maestro Tavares Belo, Francisco José e José António, o último da esq. p/a a dir.
À família enlutada, os meus sentidos pêsames.

domingo, agosto 24, 2008

CARLOS DO CARMO - "As três normas"


Este fado, cantado por Carlos do Carmo (1), na música do Fado da Azenha, de Frederico de Brito, tem uma magnífica letra de Carlos Conde, que evoca os três Macacos Sábios - Mizaru, Kikazaru e Iwazaru - e a sua mensagem de saber viver.
Diz assim:
"Para quem queira viver
Sem ralhar, sem discutir,
Três normas tem de adoptar
É ter olhos e não ver
Ouvidos e não ouvir
E ter boca e não falar"
... ... ... ...
É receita que dá, por certo, muito resultado, mas não é para todos. Antes de mais, é preciso ter temperamento ou feitio ou qualquer coisa assim para fingir que não se vê e não se ouve e... não falar; depois, é necessário muitos anos de aturado treino e uma grande dose de fdp... para passar a vida a fazer como o cavalo na parada... Mas há quem o faça e muito bem e fica, assim, sempre bem visto. Poderá ser até um tipo de sabedoria macacoide, mas que dá um resultadão, todos sabemos que dá, não é? "Caladinho é que eu sou lindo!" ou "O calado vence tudo", fazem parte do mesmo ideário, até mesmo porque "quem mais fala, mais erra" e, por isso e outras coisas mais, eu vou já calar-me para nem sair mais asneira nem entrar mosca; mas não sem antes aqui deixar estas palavras do poeta:
"Não fales, não sejas louco
Estuda o mundo de forma
A que o leves de vencida
Saber muito e falar pouco
Faz parte da boa norma
Com que se vence na vida"
divirta-se e medite que eu, eu vou a banhos!...

(1) Carlos do Carmo interpretou o "Fado da Saudade", no filme "Fados" do realizador espanhol Carlos Saura, fado distinguido com o Prémio Goya 2008, na categoria de melhor canção ORIGINAL. Um fado da autoria de "Fernando Pinto do Amaral e Joaquim Campos", de acordo com a notícia em http://noticias.sapo.pt/info/artigo/805948.html , que remata com a seguinte frase premonitória "De novo apenas poderá haver o facto de ser um fado a roubar o reconhecimento para a melhor canção original."
Relativamente à autoria da música, para além de Joaquim Campos, há também quem diga que se deve a Alfredo Marceneiro, o Fado Versículo, e quem defenda que aquele fado é simplesmente o Menor, embora com complemento de versículo, mas um versículo (tecnicamente) diferente... São, claro, opiniões de catedráticos do Fado e eu, que do fado só sei quanto o aprecio, fico calada; precisamente!... como o macaco! Mas, como estou só fingindo que não ouço, não vejo e não sei, sempre vou repetindo "Menor ou Versículo, original, é que esse fado não é e, esse, é o cerne da questão".
Voltamos a encontrar-nos na "rentrée", combinado?

VÍDEO DE HOMENAGEM
video

sexta-feira, agosto 22, 2008

"Lembrança é quase presença"

Durante estes últimos meses, aqui foram lembrados ilustres fadistas, alguns da "velha guarda", outros contemporâneos e, desses, alguns ainda no activo. Lembrados foram também os poetas de fado e compositores musicais, alguns deles instrumentistas. Nesta "Tribuna do Fado" falta ainda incluir muitos que, espero, terei ocasião de lembrar de igual modo.

Só morrem os que esquecemos.
Estar vivo é ser lembrado (mas também pode ser "o contrário de estar morto", como diria a tia mais tia de Portugal e arredores).
Como disse o poeta, "lembrança é quase presença"!...

Recordámos os intérpretes:

Alfredo Duarte "Marceneiro"; Alfredo Duarte Jor; Alberto Costa; Amália Rodrigues; Ana Rosmaninho; António Rocha; Adélia Pedrosa; Artur Batalha; Adelina Ramos; Argentina Santos; António Mourão; António Mello Corrêa;

Berta Cardoso; Beatriz da Conceição;

Celeste Rodrigues; Carlos Duarte; Carlos Ramos; Carlos Zel; Cândida Ramos; Carlos do Carmo;

Ercília Costa; Ermelinda Vitória;

Flora Pereira; Fernanda Maria; Fernando Farinha; Frutuoso França; Fernando Maurício; Fernanda Baptista; Filipe Pinto;

Gabino Ferreira;

Hermínia Silva; Hermano da Câmara (Frei);

Ilda Silva;

Júlio Peres; Júlio Vieitas; Júlia Chaves; José Porfírio; José Coelho; Joaquim Silveirinha; José Freire;

Lucília do Carmo; Lina Maria Alves; Linda Leonardo;

Mariana Silva; Madalena de Melo; Maria Emília Ferreira; Maria Alice; Maria do Carmo Torres; Maria de Lourdes Machado; Maria José da Guia; Maria Amélia Proença; Mercês da Cunha Rego; Max; Manuel Calisto;

Natália dos Anjos;

Rodrigo; Raul Pereira;

Recordámos os autores:

António Botto; Armando Neves; Alberto Janes; Amadeu do Vale; Ary dos Santos; Amália Rodrigues; Artur Ribeiro; Alberto Rodrigues; Américo M. dos Santos; A. Pessoa; Alfredo Duarte "Marceneiro"; Armando Machado; Alberto Costa; Armando Freire "Armandinho"; António Chainho; António Mourão;
Baptista Lourenço;

Carlos Conde; Clemente Pereira; Castelo B. Mota; Casimiro Ramos; Carlos Gonçalves;

Domingos Gonçalves Costa; David José; Daniel Gouveia;

Eduardo Damas; E. Costa;

Fernando Teles; Fernando Farinha; Florbela Espanca; Fernando Pinto Coelho; Frutuoso França; F. Pinto do Amaral; Francisco Viana "Vianinha"; Frederico Valério; Fernando Peres; Franklim Godinho; Filipe Pinto; Francisco José Marques;

Gabriel de Oliveira; Guilherme Pereira da Rosa; Gabino Ferreira; G. Teles;

Henrique Rego; Hortense V. César; Henrique Perry; Hermano da Câmara (Frei);

Ivete Pessoa;

João Linhares Barbosa; Joaquim Frederico de Brito; João da Mata; João de Freitas; João Dias; Júlio Vieitas; Jorge Rosa; José Luís Gordo; Jaime Lúcio; José de O. Cosme; Jaime Santos; Jaime Mendes; J. Fontes Rocha; Júlio Calado; Júlio Proença; José Bacalhau; José Marques; J. António Sabrosa; J. Pereira; J. Fontes; J. Campos; J. M. Nóbrega; J. Negro;

Lopes Victor;

Maria Manuel Cid; Miguel Torga; Manuel Pardal; Miguel Ramos; Manuel Soares Portugal; Mário Silva; Mário Gonçalves Teixeira; Martinho d'Assunção;

Paco Gonzalez; Paulo Vidal; Pedro Rodrigues;

Raul Ferrão; Raul Portela; Raul Pinto;

Tiago Torres da Silva;

Vasco de Lima Couto; Varela Silva


segunda-feira, agosto 11, 2008

MERCÊS DA CUNHA REGO - "Cavalo russo"



Há fados assim... pode muita gente cantá-los, mas ficam para sempre colados a um nome... Este é um caso - o "Cavalo russo" ...da Mercês.
De Paulo Vidal e Frederico Valério, a interpretação de Mercês da C. Rego, para recordar
VÍDEO DE HOMENAGEM

video

domingo, agosto 10, 2008

ANTÓNIO MELLO CORRÊA - "Toirito negro"


Mª Manuel Cid escreveu, F. Rocha musicou, António M. Corrêa canta este fado que evoca o Ribatejo.
Para saber mais sobre este fadista, pode ir ao blog
http://lisboanoguiness.blogs.sapo.pt/tag/antónio+melo+correia

VÍDEO DE HOMENAGEM

video

domingo, agosto 03, 2008

MARIA DE LOURDES MACHADO - "Balança, balança"

















Com letra de Ivete Pessoa e música de Armando Machado, este fado que convida a um mergulho nas águas calmas do Portinho, depois de um passeio pela serra da Arrábida... Mª de Lourdes Machado, a criadora do fado "A mulher que já foi tua", e também deste, presta homenagem ao seu Portinho d'Arrábida, onde tinha casa e donde vinha sempre "com saudades de não poder lá ficar"... Atrevo-me a dizer que é sentimento comum a quem lá vai; apetece mesmo lá ficar a admirar aquela serra maravilhosa que o mar refresca.

Para ver a letra do fado, pode seguir este caminho

http://fadocravo.blogspot.com/2006_11_01_archive.html


VÍDEO DE HOMENAGEM


video

sábado, agosto 02, 2008

ALBERTO COSTA - "Boneca de loiça"



Letra de Alberto Rodrigues, interpretação de Alberto Costa. Este fadista actuou, durante algum tempo, n' "A Parreirinha", mas a foto que se encontra no vídeo foi tirada n' "O Faia", podendo ver-se, para além de Alberto Costa, o 2º a contar da esquerda, Martinho d'Assunção, Amália, Linhares Barbosa, Berta e F. Carvalhinho. Full de ases!...
VÍDEO DE HOMENAGEM

video