domingo, maio 27, 2007

FERNANDO FARINHA - "Voz do Fado"

Um fado na voz de Fernando Farinha,que é também autor da letra, música de Casimiro Ramos.

terça-feira, maio 22, 2007

FLORA PEREIRA - "Antes só"...

...do que mal acompanhada!
Um fado da autoria de Artur Ribeiro, criação de Flora Pereira.
Artur Ribeiro tem uma página www.arturribeiro.blogspot.com, editada por Regina Gonçalves que apresentará tese de mestrado acerca deste poeta,compositor e intérprete.
Flora Pereira, uma fadista da "velha guarda", que se estreou em 1948 na E.N., no programa "Do céu caiu uma estrela",cantou fado pela primeira vez na "Parreirinha de Alfama" a cujo elenco pertenceu durante vários anos, continua a cantar muito bem e a ser uma boa companhia...

JÚLIO PERES - "Coração em férias"

Um poema de António Botto e música de Júlio Proença na voz singular de Júlio Peres.
Para todos os corações que andam mesmo a precisar de férias... e para os outros também, é claro!

domingo, maio 20, 2007

CASCAIS


Um "castelo" à beira-mar. Casa Palmela com sinais de festa e a Praia da Duquesa já com alguns primaveraneantes ansiosos por adquirir aquele sofisticado tom bronzeado que pretende distinguir qualquer coisa de que não me lembro muito bem...
Que magnífico é este cantinho do mundo!...
Posted by Picasa

quarta-feira, maio 16, 2007

CIDADES FLUTUANTES


Duas "cidades" ancoradas no porto da cidade de Lisboa - o Queen Mary 2 e o Navigator of the Seas que aportou hoje de manhã, devidamente saudado com fanfarra e "champagne"...
Dignos de uma vista in loco!
Posted by Picasa

quinta-feira, maio 10, 2007

CARLOS RAMOS - "Oração à Nazaré"

Nazaré, tradicional vila piscatória e praia de banhos conhecida internacionalmente, situa-se na Costa de Prata (litoral oeste) e pertence ao distrito de Leiria. A sua beleza natural e tipicismo, que desde sempre atraíram visitantes nacionais e estrangeiros, inspiraram também artistas das mais variadas disciplinas. Lembro, a propósito, o filme de José Leitão de Barros "Nazaré, Praia de Pescadores", estreado em 1929.
Nazaré foi também inspiração para Frederico de Brito, que escreveu esta letra que Carlos Ramos interpreta; a música é de Jaime Santos; um fado-oração a lembrar a praia da Nazaré onde, nesta época quase estival, já bem sabe dar uma passeata refrescante no picadeiro .


Um fado pouco conhecido e "misterioso", interpretado por Carlos Ramos.


VÍDEO DE HOMENAGEM
video

Nota biográfica:

Alfacinha de gema, Carlos Ramos tornou-se num dos fadistas mais queridos do público português, graças à sua voz quente e à sua postura modesta e discreta - e ao anormal número de grandes êxitos que teve, aliás ligados à popularidade crescente do disco e da televisão, meios de comunicação que explorou com grande sucesso no início da década de sessenta. Contudo, poucos se recordam que, apesar da sua apetência pelo fado vir de criança, só tardiamente Carlos Ramos o abraçou como carreira a tempo inteiro.De facto, Ramos gostava de ficar a ouvir o fado nas tascas de Alcântara, bairro onde nasceu em 1907, e foi como guitarrista acompanhante que iniciou carreira, aprendendo a tocar guitarra portuguesa na adolescência, nos intervalos dos estudos liceais. Estudou para médico, mas a morte do pai, com apenas 18 anos, obrigou-o a trabalhar para sustentar a família, dedicando-se à radio-telegrafia, ofício que aprendera no serviço militar e do qual faria carreira profissional. Continuava, contudo, a tocar e cantar nas horas vagas, primeiro apenas como acompanhante (nomeadamente de Ercília Costa numa digressão americana) depois também como fadista em nome próprio, acompanhando-se a si próprio à guitarra, acabando, a conselho de Filipe Pinto, por se profissionalizar como cantor em 1944. Estreou-se então no Café Luso, no Bairro Alto, criando Senhora do Monte o seu primeiro grande êxito.Ao longo da sua carreira, Carlos Ramos viria a especializar-se no fado-canção, género inicialmente pensado para os palcos de revista, e no qual conseguiria alguns dos seus maiores êxitos: Não Venhas Tarde e Canto o Fado. Frequentador regular das casas típicas de Lisboa durante as décadas de quarenta e cinquenta, fez também uma breve carreira internacional, participou em revistas e filmes e tornar-se-ia em 1952 artista exclusivo da casa de fado Tipóia, ao lado de Adelina Ramos, de onde sairia para, em 1959, abrir a sua própria casa, A Toca, experiência cujo sucesso não correspondeu às expectativas. Uma trombose ocorrida em meados da década de sessenta viria terminar abruptamente a sua carreira artística. Ramos morreria alguns anos mais tarde, em 1969.

(in http://www.macua.org/biografias/carlosramos.html)

domingo, maio 06, 2007

NATÁLIA DOS ANJOS - "O VELHO E O NOVO"

Este blog trata essencialmente de fado, embora aqui tenham lugar outros assuntos. Ao longo destes dois anos, foi dado algum relevo especial à figura que determinou a criação deste espaço - BERTA CARDOSO - e do site http://www.bertacardoso.com/, sem nunca se deixar, porém, de lembrar outros nomes da cultura portuguesa, nomeadamente da canção nacional. Sempre desejei ter som no blog, porque acho que a melhor maneira de divulgar a música, seja ela qual for, é fazê-la ouvir. Por diversas razões, fui adiando o projecto, mas eis que finalmente vou poder "mostrar-vos" a voz e a imagem dos cantadores e cantadeiras de quem tenho alguns registos. É um trabalho amador, até no verdadeiro sentido do termo, devendo a vossa generosidade suprir alguma falta de qualidade verificada.
Os últimos quatros posts pertencem ainda ao período experimental desta fase sonora; agora, embora tecnicamente nem sempre as coisas me corram ainda muito bem, vou arriscar no cumprimento deste objectivo de divulgação do fado e dos seus intérpretes, dos mais aos menos conhecidos.
Espero que todos gostem tanto como eu.
Hoje, vamos ficar com NATÁLIA DOS ANJOS e um fado que, não sendo dos mais conhecidos do seu repertório, tem uma letra, de David José, muito divertida... a música é de Jaime Santos. A escolha é "O velho e o novo".