sexta-feira, junho 10, 2005

Lés a lés

Esta letra de J. Linhares Barbosa, que faz parte do repertório de Berta Cardoso, para ilustrar o Dia das Comunidades PORTUGUESAS, que hoje se comemora:

Lés a lés

A cantar de lés a lés
Atravessa o mundo inteiro.
Verás, em todo o estrangeiro,
Todos te dirão quem és.

Há lá coisa mais bonita
Que um português de samarra
Embarcar com a guitarra
No seu saquito de chita!
Foi sempre assim, acredita,
Mal que a gente pôs os pés
Nos sobrados dum convés
Sentimos da Pátria a imagem
E vamos toda a viagem
A cantar de lés a lés.

Vai do mundo a qualquer parte
E verás em todo o mundo
Do teu Portugal jocundo
Vestígios do seu estandarte !
O teu país foi na arte
De navegar o primeiro,
Como não há marinheiro
Que não cante o triste fado,
O fado desde soldado
Atravessa o mundo inteiro.

Sobre a madeira de um barco
Foi à Ilha da Madeira,
A descoberta primeira
Do nobre Gonçalves Zarco.
Mas como o prémio era parco
Para um génio aventureiro,
O fado que era troveiro
Vai do Brasil a Ceilão,
Pedaços desta canção
Verás em todo o estrangeiro.

Em África impõe a lança,
Na Índia lança vontades,
E deixa loucas saudades
No Cabo da Boa Esperança.
Na tormenta, na bonança,
Esta canção que se fez
P'ra o coração português
Achou sempre o mundo estreito,
Canta-a com a guitarra ao peito,
Todos te dirão quem és.


E relembrando Camões que assim diz em OS LUSÍADAS:

As armas e os barões assinalados
Que, da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
E em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
Entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando:
Cantando espalharei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.



3 comentários:

Anónimo disse...

A minha amiga tem uma grande produção bloguistica que às vezes me é dificil acompanhar...e este fado que não conhecia encantou-me. Um dia, talvez o inclua no meu reportorio, honrando claro está os seus autores e criadora...
Valeria mendez

Fadocravo disse...

O.K. Então, se quiser ir ensaiando, isto era cantado no Fado de dois tons. Há uma gravação, ainda encontrável, do Fernando Maurício. Um dia destes penso já ser capaz de por música no blog...Isso é que vai ser do melhor!
Um abraço e não esqueça que, se vier ao Continente,temos mesmo que nos encontrar, está bem ?

Anónimo disse...

Seria um prazer encontrá-la...Ficariamos por certo, 'horas esquecidas' a falar de Fado!
O "Fado 2 Tons" já o canto há tantos anos!!! Vou experimentar com esta letra, diria melhor, poema.
O pior é que ultimamente tenho cantado tão pouco, a não ser quando saio da Madeira, pois o meu guitarrista faleceu, e o que existe agora ...Nossa Senhora, nem lhe conto...que tenho medo que ele leia isto!!! Felizmente quando faço esp. ao vivo l
a fora os musicos não são os de cá...senão era cá uma tomatada!!!( ai oxalá os guitarristas de cá não leiam isto!!!)Mas é a verdade!!

Nem assino por medo, mas a menibna sabe quem é, não sabe???
eh eh eh^!!!!
Eu devia era ser como a BVeatriz da Conceição e mandá-los todos para um certo sitio, para aprenderem a tocar guitarra!!!