quarta-feira, junho 08, 2005

Bilitis ou Pierre Louÿs ?

"O artista é um fingidor..."

De facto, "As Canções de Bilitis", publicadas como sendo a tradução de poemas de Bilitis, uma contemporânea de Sappho, são, na verdade, da autoria do que se intitulou "tradutor" e nem sequer se esqueceu de incluir uma biografia da dita poetisa grega... Bilitis e os seus poemas foram forjados por P. Louÿs e constituem uma hábil falsificação literária que ficou célebre...
É interessante que tenha sido um homem a escrever estas (algumas) páginas de amor no feminino...

LA MÉTAMORPHOSE

Je fus jadis amoureuse de la beauté des
jeunes hommes, et le souvenir de leurs
paroles, jadis, me tint éveillée.

Je me souviens d'avoir gravé un nom dans
l'écorce d'un platane. Je me souviens d'avoir
laissé un morceau de ma tunique dans un
chemin où passait quelqu'un.

Je me souviens d'avoir aimé... O Panny-
chis, mon enfant, en quelles mains t'ai-je
laissée? comment, ô malheureuse, t'ai-je aban-
donnée?

Aujourd'hui Mnasidika seule, et pour tou-
jours, me possède. Qu'elle reçoive en sacrifice
le bonheur de ceux que j'ai quittés pour
elle.

4 comentários:

janus disse...

As coisas que tu sabes!...

Anónimo disse...

On apprend beaucoup sur ce 'site'!
(respondendo-lhe à questão, só gravei um disco (um vinil) há muitos anos e nunca foi editado em Cd. Viver numa ilha tem um preço...estamos mais distantes das editoras, dos estudios, das oportunidades.A minha carreira é muito alicerçada em espectaculos ao vivo, se bem que possua no meu reportorio ineditos que davam para uns trÊs albuns...
Valeria Mendez

Carlos Barros disse...

pois essa é a verdade que se sabe e o que não se sabe?

fadocravo disse...

O que não se sabe, não se pode dizer, não é ? Quando se souber, logo se dirá...