sexta-feira, abril 06, 2007

FADO-SAURA


Imagem inédita do Documentário Fado, do português Saura e onde se podem ver, para além dos também portugueses Lila Downs, Caetano Veloso, Cesária Évora e Toni Garrido, a andaluza Mariza e o brasileiro do Carmo, ambos, como se verifica, em 1º plano e os restantes, portugueses, em 2º plano como é costume, com outros figurantes, i.é, FIGURÕES...
Olé Fado!... Arriba la Lolita!
P.S. Se quiserem o contacto do fadista Plácido Domingo, enviem-me um mail que eu de imediato o contactarei. Parece-me justo que ele entre também no filme e, que diacho!, o milhão de euros recebido deve dar ainda para pagar ao homem, ou não ?; Carlinhos, deixem de ser unhas de fome, vá lá! Por Deus! fazerem um filme sobre Fado sem esse fadista é loucura... Já bem basta terem-se esquecido de outros grandes nomes da canção nacional, não é?... Habilitam-se a que a UNESCO não deixe o Fado ser elevado a Património Imaterial da Humanidade e lá vai todo este vosso trabalhão e sacrifício por água abaixo. Sim, porque todos nós sabemos como a vida está cara e quão parco é o vosso cachet... e reconhecemos todo o sacrifício que têm feito só por amor à arte, ao fado e a Portugal . BEM HAJAM!
Posted by Picasa

7 comentários:

Anónimo disse...

Não sei quem teve a ideia de encomendar ao Saura um documentário sobre o Fado!E agora não me apetece mais escrever pq. 'tou muito chateada com tudo isto e nem consigo ironizar sobre o assunto!
Pq. não covidaram o Manuel de Oliveira? Assim teriam a possibilidade dele (o doc. ragicómico..?) ser nomeado para um óscar do melhor filme estrangeiro!
Adeus!
Eu

Anónimo disse...

subscrevo inteiramente.Mais uma prova de que, por aqui, existe gente que tem vergonha de ser Português!
Valeria Mendez

Anónimo disse...

Plácido Domingo é um Senhor e desde sempre tem referido o seu interesse pelo fado. Não misturemos as coisas. Deixemos o grande tenor e amante do fado de fora e distante do filme do Senhor Saura. Domingo, refere a imprensa, já há muito pretndia gravar um CD de fados, tributo natural de um grande tenor a uma canção que o fascina, e que já garvou canções napolitanas, italianas, tangos, flamencos, coplas, rancheras, logo é natural. Domingo, disse-o várias vezes, era um incontestável fã de Amália.

Editora disse...

Aqui nada se mistura...mas tudo tem a ver com tudo! Ninguém tira a Plácido Domingo, que conheço e admiro, o valor que tem, mas a verdade é que não gastaria um cêntimo para ouvi-lo cantar fado. Mal de nós se todos os fãs de Amália desatassem, lá por isso, a gravar discos de fado!... Ou que todos os amantes de fado tivessem a mesma ideia,como forma de prestar tributo à nossa canção nacional... Ou talvez fosse bom, quem sabe não se descobririam por aí alguns enormes valores que andam encobertos?...

Anónimo disse...

Quanto ao filme do Saura há que juntar esforços e antes de mais denunciar os nomes que estão ligados a ele! Não tanto os artistas que foram trabalhar no filme - exceptue-se Carlos do Carmo e Mariza que desde a primeira hora se didentificaram com o projecto e o defenderam - mas outros como os responsáveis da Camara de Lisboa, Santana Lopes que iniciou esta campanha do fado classificado pela UNESCO, os vereadores da Cultura, a anterior e o actual Amaral Lopes, a ex-presidente da ESBAHL/EGEAC, Maria Louro, a directora do Museu do Fado, Sara Pereira, e também os conselheiros do Museu. A estes cabia antes de mais mobilizarem o meio fadista, informá-lo, perceber o que pensava e levar isso ás instâncias superiores. Sem quadro legal, segundo consulta do site do Museu, os conselheiros do fado são, por vir referido na imprensa, os Amigos do Fado (APAF) Luís de Castro (Dr) e Julieta Estrela de Castro; Academia do Fado e da Guitarra Portuguesa atraves de Luís Penedo (Engº), Daniel Gouveia, amplamente conhecido, Gilberto Grácio, Vicente da Câmara (Dom), António Chainho e Carlos do Carmo, além da presidência de Sara Pereira (Dra). Todos conhecidos no meio. Quem tem coragem de dizer O REI VAI NÚ !!!!!!!!!!!!!!!!!! Não brinquemos com o afdo, a minha esperança é que o FADO que a tudo resiste, resista a mais este abalo!
Curioso terem escolhido a Mariza quando de fado há pouco e dois tradicionais canta sempre os mesmos! Sempre o "Zanguei-me com o meu amor" (Mouraria) e o "Primavera". No seu último CD inclui um brilhante pooema do Mário Raínho no Fado Magala e um outro do Graça Moura, bem feito, no Franklin de Sextilhas. Mas desde há tres anos que anda a cantar sempre o mesmo. Veja-se o DVD "Concerto em Lisboa".
O Carlos do Carmo é um camaleão do fado, mas apesar de tudo que se lhe pode apontar canta e demonstrou-o, de forma superior no Casino, mas cantou os tradicionais!
Flores de Verde Pino

Anónimo disse...

Imagino que quando Amália Rodrigues resolveu cantar música espanhola, a recepção por lá tenha sido bem menos sarcástica... O mal de Portugal não é a pequenez territorial, é o orgulho pela pequenez mental em que navegam os escribas desgostosos.
Fado por Saura - e por que não? Conhecem algum realizador português que se tenha atirado à tarefa? A malta por cá é mais bandeiras à janela nos dias da bola. Não vos dá pena?

Anónimo disse...

Pois eu só digo que o filme tem muito pouco de fado. Saura conseguiu tornar o fado, canção dotada de um sentimento puro por ser do povo, por ser porco, por cheirar a vinho, num espectáculo de palco. Deveras pouco impressionante, ainda que com algumas grandes actuações, no geral não é um filme sobre fado mas sobre um espectáculo de palco. E se é suposto o filme promover o fado, pois digo que ninguem que o veja fica a perceber a essencia do fado enquanto sentimento. Mas valeram as guitarradas.