domingo, fevereiro 21, 2010

OH!, MADEIRA...

video

Este tema, de F. Carvalho e de N. de Barros, interpretado por Max, é, nesta hora amarga, o meu abraço à nossa Pérola do Atlântico que, muito em breve, estará de novo em todo o seu esplendor. Coragem!

20 comentários:

Anónimo disse...

Esta é, na minha opinião, uma das mais bonitas baladas da música portuguesa. Lembrar esta Madeira em tão triste altura será um bálsamo. A jóia que Deus pôs no oceano está a tornar-se cada vez mais uma "sapata de betão armado" claustrofobiante. Mas é bom recordar Max e pensar nesta Madeira.
NL

Anónimo disse...

Lúcido comentário até certo ponto, mas neste tempo - do Max - a Madeira era esta "jóia de Deus" mas também uma terra de opressão.
Sérgio Soares

Anónimo disse...

Ai Deus e ue que aí vêm politiquices, aqui fala-se de música, poesia, senhores!!!!! O comentário do NL é apropriado, mas não se pode parar no tempo!

Anónimo disse...

Não se pode parar no tempo, mas pode parar-se o betão, não? Convém!...
Péssima, a opressão do betão; então num jardim paradisíaco como esse !

Anónimo disse...

Viva o Max!Foi um grande cantor que como poucos cantou fado!
E vamos todos ajudar os madeirenses.
Felizbela Saraiva

Anónimo disse...

Este blog está sempre a surpreender-me, do Max só conheço a Mula da Cooperativa e o Bailinho da Madeira, ou ainda o bonito tema Pomba Branca. Esta é facto uma lundíssima compossição e muito apropriada reverência nesta hora dolorosa pela qual passa a comunidade madeirense.
Inez Benamor

Anónimo disse...

Lamentável o que aconteceu na Madeira e bonito este festo de solidariedade da nossa amiga Maria Leiria. Mas é pertinente o 1º comentário. Transformaram a Madeira em algo contra-natura, excesso de betão e desrespeito pela natureza. Catástrofes acontecem sempre mas...

Pedro Fontes

Anónimo disse...

Uma sugestão, se tiver, um vídeo do Max a cantar o fado meia noite


Rui Branco

MLeiria disse...

No que a esta balada respeita, perfilhamos a mesma opinião, NL.Pena que este videozinho não tenha sido, como eu queria, para apenas celebrar, uma vez mais, a Madeira em todo o seu explendor natural. Quero crer que a "reconstrução" não só será rápida, como evitará alguns erros de construção que eventualmente tivessem sido cometidos; com isso ganhamos todos!
O.

MLeiria disse...

Há muitas "jóias de Deus" semeadas por esse mundo que são ainda "terras de opressão", como lhes chama, não é verdade Sérgio? E, para alguns, infelizmente, lá como cá, em todo o lado, não se pode dizer que a opressão tenha já deixado de ser uma realidade!...
O.

MLeiria disse...

Ai Deus e u é
que Cultura não fica fora da Política! politiquices, que é do mais vezes se trata em política, é que não são para aqui chamadas, tem razão! Mas nenhum de nós é desses,digo eu!...
O.

MLeiria disse...

Razão tem, Anónimo,em referir a "opressão do betão", no que parece querer dizer o mesmo que NL, na expressão "sapata de betão armado"... Os exageros são contrários à Sabedoria, que é o próprio Equilíbrio... e a última palavra, é sempre a Natureza quem a dita!
O.

Anónimo disse...

Por certo que iremos, Felizbela! Até os políticos se têm portado acima de qq expectativa...
Qtº ao Max, é um daqueles cantores que tem "Magia na Voz" o que é bem diferente de simplesmente ter boa voz e cantar bem, não é?
O.

MLeiria disse...

Ó, Inez,tão engraçada! Por esta sua desinibida assunção de desconhecimento e o modo como o diz; na minha consideração, está a ficar altamente cotada, o que lhe deve ser um bocado indiferente, mas que não quero deixar de lhe transmitir...
Neste meu blog, tem outro video dedicado ao Max, interpretando "Ilha da Madeira", um tema mais na linha deste e do da Pomba Branca, que pouco tb. tem a ver com o da Mula e o do Bailinho, que porém não deixam de ter os seus encantos.
O.

MLeiria disse...

Parece que é da minha opinião, Rui. O Fado Meia Noite, na interpretação de Max, é Outro! É um dos fados de que mais gosto e mais o do Max. Não me esquecerei de fazer esse video, talvez para comemorar o "restabelecimento" da terra natal de Max.
O.

MLeiria disse...

Obrigada pela sua gentileza, Pedro, no que a mim se refere.
Qtº à causa do que aconteceu na Madeira, não diria, sem mais, que o excesso de betão esteja na raiz do problema; se bem repararmos, estes temporais são cada vez mais frequentes em locais onde mtº raramente aconteciam e isso terá a ver particularmente com "outros" desrespeitos pela Natureza... É claro que o excesso de betão poderá agravar qq situação destas..., mas esse não é mal exclusivo da Madeira; por cá, vem a passar-se precisamente o mesmo... que dizer, por ex., dos abates de árvores, algumas centenárias, em diversos Jardins da Cidade?...
O.

VALERIA MENDEZ disse...

muito obrigada,como madeirense,habitante da Madeira e amante incondicional desta ilha bela.A tristeza invade-me a alma, mas também a coragem de reconstruir,de ajudar,de contribuir para uma normalidade necessaria e premente.O betão,como aqui se referiu não teve nada a ver com o que se passou.Onde havia betão,pelo menos o betão dos ultimos 20 anos em nada contribuiram para a desgraça.Essa tragedia surgiu precisamente dos recantos onde havia menos betão.A orografia da Madeira é assim.Tudo é feito em socalcos.A agricultura e tb as construções, que nas zonas mais afectadas se tornaram vulneraveis pela força da Natureza.Imponderaveis...O que era bom é que o sucedido não servisse para fins politicos obscuros.Quem me conhece sabe que nunca fiz campanha pelo Dr AJJ, MAS UMA COISA É CERTA-NÃO FORA AS ACÇÕES DESSE HOMEM E A MADEIRA ESTARIA MUITO PIOR,ATÉ NO QUE DIZ RESPEITO ÀS CONSEGUENCIAS DO TEMPORAL.

MLeiria disse...

De facto, Valéria, o sectarismo cega as pessoas e prejudica toda a gente... pior do que isso, o mau jornalismo que se pratica, que apenas vive da desgraça e que promove o conflito, que não esclarece nem ensina, apenas baralha e confunde para reinar no meio da Ignorância, à semelhança do que se passa em tudo, no País e no Mundo. De todos os políticos, um dos únicos que continuo a admirar é precisamente o tio Alberto João, como gosto de lhe chamar, nomeadamente pela sua postura desassombrada, mesmo na pior das adversidades, como agora se verificou; Notável, no diálogo com os jornalistas. "Quem não deve, não teme", é o que é!
Miseráveis, os que perante esse cenário de destruição apenas se preocupavam em tentar encontrar "os culpados" para, como de costume, dar o espectáculo do carrasco e da vítima, da miséria; tão ignóbeis! tão absurdamente ignorantes! Onde todos viam bem o drama da impotência do Homem contra as Forças da Natureza, esses esforçavam-se ridiculamente por somente tentar crucificar o comandante do navio...
Não há paciência!...
Para a nossa Madeira, para si e para o tio AJJ, tudo do melhor. Que Deus a todos proteja e fortaleça!

julieta estrela disse...

Olá boa tarde. Depois de ler o comentário de Inêz Benamor a respeito do seu desconhecimento do grande artista que foi MAX tomo a liberdade de deixar alguns dos titulos de fados que MAX tão bem interpertou e compôs,porque nem sempre se sabe o nome dos autores de grandes sucessos da musica portuguesa

Nem as peredes confesso
"Max-Ferrer Trindade-Artur Ribeiro"
Lamentos
"Domingos Gonçalves Costa-Max"
Já me deixou
"Artur Ribeiro-Max"
Tudo te dei
"Joaquim Pimentel"
Fiz leilão de mim
"Max-Artur Ribeiro"
A Julia Florista
"Leonel Vilar-Joaquim Pimentel"
Vielas de Alfama
"Max-Artur Ribeiro"
Quadras soltas
"Reinaldo Varela"
Fado do Zé ninguem
"A.Barbosa-J.Galhardo-V.Santana-R.Portela"
Carta de um soldado
"José Galhardo-Raul Ferrão"
Tenho saudades de mim
"J.Proença-Fernando Peres"
Saudade da madrugada
"Fernando Peres-Fado machado"

Estes são alguns de tantos fados
que MAX tão bem interpretou,fêz poema,e musicou. Desculpei esta informação,mas penso que Max merece.
Os meus cumprimentos
Julieta Estrla

MLeiria disse...

Obrigada por toda essa informação,Senhora Presidente da APAF. De facto, as autorias andam muito esquecidas e até pessoas que tinham o bom hábito de as indicar, antes de cantar, já se vão esquecendo... claro que, como ninguém nasce ensinado e Fado não tem Universidade,os mais novos acabam por desconhecer muita coisa, mas, diga-se em abono da verdade, que o mesmo acontece a alguns mais velhos e até com responsabilidades...
Sempre que achar conveniente, use e abuse deste espaço que não é tanto meu, mas mais do Fado!
Saudações fadistas!
O.