domingo, fevereiro 28, 2010

ARGENTINA SANTOS - "Não sei se canto se rezo"

A exposição "Argentina Santos - Não sei se canto se rezo", ontem inaugurada no Museu do Fado e que estará patente ao público até ao próximo dia 30 de Abril, teve casa cheia e bem merece uma visita, mesmo de quem não aprecia estas coisas do Fado...
Desde logo, porque a exposição leva a assinatura de António Viana, que sempre sabe revestir estes espaços de uma certa magia, sem nada lhes retirar de realidade, dando-lhes o brilho certo; depois, porque vale a pena conhecer o percurso fadista de Argentina Santos, particularmente pelo que ele tem de invulgar.
Ontem, na inauguração, tal como estava anunciado, prestou-se uma breve homenagem à fadista, tendo-se ouvido as vozes de Ricardo Ribeiro, Ana Sofia Varela e Carlos do Carmo, nenhum deles tendo mencionado as autorias dos fados que cantaram, o que achei inusitado, dado o espaço e o acto, particularmente no que respeita à prestação de Carlos do Carmo que teve também a seu cargo a "oração de sapiência", no que esteve irrepreensível. Finalmente, Argentina Santos, que recupera ainda de um recente problema de saúde, brindou-nos com "a última lição"- um fado seu, que primou pela genuinidade e por essa grandeza de oferecer o que podia, para não desiludir o seu público que, mesmo assim, tanto queria ouvir essa "voz que é um pregão", como tantas vezes dela ouvi dizer Berta Cardoso.
Vale a pena o catálogo da exposição, belissimamente ilustrado e com textos de Sara Pereira e Sofia Bicho; apenas fiquei na dúvida se, como consta a páginas 27 do sobredito, o fado "A minha pronúncia", que ali se indica como sendo do repertório de Argentina Santos e ter letra da autoria de Alberto Rodrigues, será o mesmo que foi do repertório de Carolina Redondo, cuja letra se deve a Clemente J. Pereira e que, de facto, também Argentina Santos costuma cantar. Ora veja lá:
De resto, está de Parabéns a Argentina e o Museu!
Esperemos que outras homenagens estejam na forja...

6 comentários:

Américo disse...

Cara Amiga, gostei de ler tudo o que diz. A Amiga, é sempre muito ponderada e tem conhecimento das coisas.Há muito que não vou á Parreirinha, onde sempre se espera pela Argentina, para ser a cereija em cima do bolo, Ela normalmente encerra a noite de fado. Minha vida a mais de 400 km, não ajuda, aliás nem a Lisboa nestes últimos 5 anos, fui. Mas de Argentina, que tanto admiro, não só como ícone do nosso Fado, mas também pela grande mulher trabalhadeira e que tem mantido sua casa, entre as preferências dos amantes do Fado. Ela merece todas as homenagens. Um abraço Américo

Fada das Letras disse...

Olá. Guardei o seu blog nos meus favoritos e virei mais vezes. Sou a poetaromantica no Youtube e Fada das letras, na blogoesfera. Publiquei aquele video de fado da grande fadista Odete Murta, que você comentou. Faz hoje um ano que lhe fizemos uma festa de homenagem para angariação de fundos, pois vivia em grandes dificuldades e o companheiro que entretanto faleceu, estava gravemente doente. Agora esta em casa de um filha, mais doente e debilitada. Estive com ela na sexta-feira em Benfica e a sua voz poderosa é o que a prende ainda á vida. O corpo esta degradado mas aquela garganta ainda vibra com a emoção do fado.Se quiser entre em contacto para um melhor conhecimento mútuo. Beijos, Arlete Piedade

Ti Maria Benta disse...

Lá estarei! Obrigada pela informação!
Bj!

Fadista disse...

Pois é verdade, a Parreirinha ainda é daquelas casas de fado onde me dá gosto ir, por tudo e pela Argentina, claro!, que é a Alma da casa. Uma Mulher e tanto!
Abraço para si,Américo, e obrigada pela forma sempre elogiosa como se refere à minha pessoa.
O

Fadista disse...

Obrigada, Arlete, por esta mensagem e pela informação acerca da Odete Murta, que só conheci através do seu vídeo; aprecio imenso aquele fado que apenas ouvi cantar a Berta Cardoso e de que não tenho qq gravação nem sei quem o terá gravado; gostei da interpretação da Odete.
Até breve.
Bjinho
O.

Fadista disse...

Não tem que agradecer, Comadre! Até pensei que tivesse emigrado...mas não, felizmente por cá continua e sempre em boas companhias fadistas!
Bj. da Vizinha da Frente