segunda-feira, dezembro 05, 2005

Não quero outra companhia







Jardim da saudade
Técnica mista
Lúcia Hinz



Saudade
Sabendo que em tua ausência
prazer algum me conforta,
no momento em que saíste,
a saudade entrou-me a porta.

Andou em volta da casa,
como se ela sua fosse,
chegou pertinho de mim
puxou de um banco e sentou-se

- Estavas só e tive pena,
disse-me, então, a saudade
- Vamos esperar por ela,
podes chorar à vontade!

E não me larga um momento
toda a noite e todo o dia
Enquanto tu não voltares,
não quero outra companhia.


Esta palavra intraduzível, presente em tantas letras de Fado!
Neste caso, o poema é da autoria de Linhares Barbosa, música de Carlos Ramos

1 comentário:

Lilian disse...

O poema de Linhares Barbosa e a obra de Lúcia Hinz me deixaram com lágrimas nos olhos, eu amo as obras de Lucia, ela pinta a música, a poesia, a danca, é uma artista simplesmente maravilhosa.

Lilian