quinta-feira, novembro 10, 2005

Lisboa, Casta Princesa



O "Fado de Lisboa", com letra e música de A. Leal e R. Ferrão, que foi do repertório de Ercília Costa, na igualmente notável interpretação de Mariana Silva, que o gravou com o nome de "Lisboa, casta princesa"

Lisboa, Casta Princesa,
Que o manto da realeza
Abres com pejo
Num casto beijo;
Lisboa tão linda és,
Que tens de rastos aos pés
A majestade do Tejo.
Lisboa das Descobertas
De tantas terras desertas
Que deram brado
No teu passado
De beleza tens a coroa
Velha Lisboa
Da Madragoa
Quantos heróis tens criado!

Sete colinas
São teu colo de cetim
Onde as casas são boninas
Espalhadas num jardim
E no teu seio
Certo dia foi gerado
E cantado
Pelo povo sonhador
O nosso fado.

Lisboa, tardes doiradas
Dos Domingos, das toiradas
Em que luzia
A fidalguia;
E em que esse sangue valente
Mostrava que havia gente
A quem a morte sorria.
Lisboa, terra de fama,
Tens a tristeza de Alfama
E a poesia
Da Mouraria.
E nos teus velhos recantos
Eu sei lá quantos
Tu tens encantos
Dos tempos da valentia!

video

5 comentários:

Anónimo disse...

Mas que Fado! Este é um dos fados que melhor descrevem Lisboa no tempo em que o Fado era Fado! Já o conhecia muito bem na voz de Ercília Costa; sinceramente não fazia ideia que a altiva voz de Mariana Silva também tivesse entoado este lindo fado. Bem...penso que pouco mais tenho a dizer senão que já o ouvi também na voz de Argentina Santos. Mais uma vez os meus parabéns ADRIANO

sónia disse...

Ai Lisboa... ;)

sjargin disse...

Uso de denominações portuguesas do vinho em Rússia
As denominações portuguesas como os vinhos do Porto e de Madeira assim como outras marcas extrangeiras são amplamente usadas em Rússia desde o tempo soviético para as imitações domésticas frequentemente da menos qualidade. Está de encontro aos tradições do bom comércio e desacredita as marcas famosas do vinho. Sergei Jargin (Moscovo, Rússia) http://www.freewebs.com/overpopulation1/

Anónimo disse...

Jargin SV. Sobre as causas da falta de higiene de banheiros, no meio ambiente da antiga União Soviética. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo 2009; 51(6):353
http://www.imt.usp.br/revista/MedTrop51-6_site.pdf

Bruno Urbano disse...

A minha avó que tem 90 anos gosta muito deste fado e de outros.