domingo, fevereiro 17, 2008

CARLOS DO CARMO - FADO DA SAUDADE


video

Este é um excerto do fado que ganhou este ano o Prémio Goya, atribuído pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Espanha à melhor Canção Original de filme, neste caso o contestado "Fados", de C. Saura.

Quando todos pensávamos "que bom, finalmente um prémio para Portugal", alguém levantou o dedo e disse "O REI VAI NU!..." Estala a polémica à qual me parece, porém, alhear-se o principal visado, Carlos do Carmo, que continua renitente, sem dar explicações públicas. Foi Vitor Marceneiro quem, na qualidade de herdeiro de Alfredo Marceneiro, levantou a celeuma e disse "mas que é lá isto, esta música é da autoria do meu avô, é o Fado Versículo, ou Pierrot, ou simplesmente Versículo, cantado e recantado por tantos e tão bons fadistas e agora quem recebe o prémio é o C.doC. e nem diz de quem é esta música..." Ora, no programa do Malato, quando este pergunta ao Carlos do Carmo de quem é a música do Fado Saudade, o Carlos responde um bocado atrapalhadamente que "é o Menor, do qual se desconhece o autor..." e não fala no Versículo, nem no Marceneiro. Mas noutras declarações, já C.doC. vem dizer "Nunca reclamei a autoria, é um fado menor em versículo que é uma forma musical de que o povo se apropriou, e a que cada um dá o seu estilo". Portanto, C.doC. parece aqui reconhecer que esta forma musical é mesmo o Fado Versículo, mas também parece não reconhecer a reclamada autoria de Alfredo Marceneiro...

O produtor do filme, Ivan Dias, declarou à Agência Lusa que o "Fado da saudade" "é um fado menor em versículo com arranjos dos músicos que acompanham Carlos do Carmo", assim parecendo também reconhecer tratar-se do Fado Versículo...

Acerca da matéria, muitos se pronunciaram a favor da tese defendida por Vitor Marceneiro, mas, "estranhamente", alguns profundos conhecedores de música veem a terreiro defender o NIM...
Para que não subsistam dúvidas, nos dois "posts" anteriores pode ouvir-se o Menor, pela Mariana Silva e o Versículo, pela Berta Cardoso. Parece-me que não há dúvidas que a música que o Carlos do Carmo canta com esta letra do F. Pinto do Amaral é mesmo o Versículo, que se encontra registado em nome do A.Marceneiro.


A questão que se coloca agora é "sendo a música a do Fado Versículo, poderia o prémio ter sido atribuído a este Fado, uma vez que o Regulamento determina que "Al Premio a la Mejor Canción Original podrán optar aquellas canciones, compuestas de letra y música, en las que ambas han de ser originales y creadas expresamente para la película. La canción debe ser claramente audible en algún momento a lo largo de la película, incluidos sus títulos de crédito"??? Se a palavra "original" tem ainda o mesmo significado, eu diria que não, uma vez que a música, embora com «arranjos novos», é precisamente a que o Marceneiro arranjou para a letra do Pierrot, há já umas décadas...

A situação criada é muito desagradável, tanto para Portugueses, como para Espanhóis, uns porque podem ficar sem o prémio, outros porque terão que reconhecer que, afinal, é de Portugal que nem bons ventos... Mas também, quem os manda a eles pronunciarem-se acerca de matérias que não conhecem?! Também por lá se usa! Não acredito que Carlos do Carmo tenha indicado outra autoria para a música; o que creio é que, simplesmente, não indicou! E os Académicos, que nunca tinham ouvido o Versículo e mesmo, se calhar, nenhum outro Fado, sauf quiçá algum da Amália, acharam lindo, que é, e premiaram. Vamos a ver, agora, como descalçam a bota... Que, calhando, nem há bota nenhuma para descalçar! Nós é que somos todos uns pobres de espírito, uns ignorantes, uns tontos... como a criança do REI VAI NU!... A música parece a do versículo, aquela forma musical de que o povo se apropriou..., mas não é, é uma forma musical completamente original e reabilitada com arranjos novos, embora aos ignorantes continue a parecer aquela mesma outra forma musical da autoria do Marceneiro, entendido?

10 comentários:

Anónimo disse...

Meu caro, a única semelhança entre o fado Versículo (Pierrot) e o Fado da Saudade que o CC canta é o versículo. Um fado é acompanhado por 3 acordes e é em tom maior, o outro por 2 acordes e é em tom menor.
Um fado lá por ter versículo não deixa de ser o mesmo fado. Se assim fosse eu criava já dezenas de fados e registava-os. Pegava no Magala, no Vianinha, no Alfacinha, no Corrido, etc.
O Marceneiro não criou o Fado Menor como bem sabe, donde não há lugar ao pagamento de quaisquer direitos.
Agora que o prémio para uma canção original seja entregue a uma música com mais de um século, aí do~u-lhe razão.
Saudações.

Anónimo disse...

Meu caro Anónimo
Se bem entendi, na sua opinião, que nme parece de alguém que sabe bastante de música, provavelmente compositor, o Fado da Saudade é um Fado Menor, mas que não é versículo, embora o seja, por causa dos acordes e do tom. Seja!
Porém, como diz, foi indevidamente premiado este fado que, embora tenha letra original, tem música com mais de um século.
Se calhar, até é de louvar o esforço do C.doC. em tentar trazer para Portugal um prémio...

Anónimo disse...

Caríssima senhora, apraz-me bastante puder apreciar mais alguns preciosos posts. Já tinha algmas saudades de novos assuntos apesar de reconhecer que para este "serviço" louvável que tanto admiro é necessária alguma disponiblidade de tempo. E´ por estes motivos que a gostaria de congratular e dizer-lhe que continue ! ADRIANO

valeria disse...

C.do CARMO , que, sublinho, é um artista de primeira água, não será, a meu ver, um ser humano que lhe correspondas...Mas isso são outros quinhentos...Em relação ao filme, achei-o tendencioso e mal feito, em relação ao casting do filme, achei-o lamentavel, triste mesmo!E em relação ao premio Goya, dá-me vontade de rir...uma cabção original com mais de cem anos.Quem foi que disse que os espanhois percebem de Fado?
Valeria Mendez
do blog
fadista-valeria-mendez.weblog.com.pt

Chela disse...

El otro día no leí este interesante post sobre el fado que cantó C.do C. por el cual le ha sido otorgado un premio GOYA.

Creo que usted tiene razón en lo que dice en sus comentarios y siento mucho que los jurados de premios antes de pronunciarse no se asesoren por expertos sobre el tipo de canción de la que se trata, en este caso, que se hubieran asesorados por un experto musical en fados.

Y al parecer, tampoco se puede creer en la sinceridad de algunos artistas que no desean reconocer las fuentes de las que se nutren para sus obras.

¡Que triunfe la verdad!

Saudaçôes

Anónimo disse...

http://www.spautores.pt/pesquisas1.aspx?Tipo=M&Obra=FADO%20VERSICULO%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20(M)&iswc=T-045607253-9


aqui podem ver na pagina da SPA o fado versiculo com autoria de alfredo marceneiro.

joao santos fadista disse...

amigo anónimo,dos tres acordes e dois acordes se é guitarrista acorde porque anda a dormir depois de acordar toque o versiculo pierrot,toque o fado da saudade , e seguidamente toque o fado menor
e se tem ouvido verá que o fado da saudade, é o fado versiculo e não o fado menor ´.
arrisco-me a dizer que o senhor deve ser um amador qualquer,como guitarrista,porque de fado não percebe nada,mas parabens pela coragem de escrever mesmo sabendo que estava errado, é de homem.

radojcicz disse...

Este é realmente o melhor do fado da saudatde, Carlos do Carmo.
Ola from Belgrado

Raul Nobre disse...

Mas será que está tudo maluco?

"letra y música, en las que ambas han de ser originales"

Mas a música é original?

Diria o meu pai assim: -Estás a querer fazer dos outros parvos? Queres levar já duas chapadas no focinho? E nem mais uma palavra, senão...

E eu não abria mais o "bico".

Fadista disse...

Gostei dessa, Raul!