terça-feira, junho 05, 2007

GABINO FERREIRA - "Ri sempre"

Gabino Ferreira nasceu no Porto em 1922 tendo, por isso, ficado conhecido pelo "Miúdo do Bonfim". Em 1942 veio para Lisboa onde cantou em vários restaurantes típicos. Em 1946 participou no espectáculo "Portugal a cantar" que deu origem ao programa radiofónico "Voz de Portugal". Retirou-se da vida artística no auge da carreira. De entre muitos dos seus êxitos, lembro "Vamos para as hortas", "Lenda da Amendoeira", "Ri sempre" e "O Fado está doente", todos com música da sua autoria e letra de Carlos Conde.

7 comentários:

Anónimo disse...

É realemente um fadista que admiro e respeito. Vinha também dar a notícia para quem não souber, que no dia 7 de Junho começará "O Fado no 28", ou seja, inicia-se uma série de sessões de Fado nos eléctricos de Lisboa e queiram saber, que começa com, entre outros, dois grandes nomes do Fado, dois diamantes (diria): Esmeralda Amoedo e Nuno de Aguir .Cumprimentos Adriano

Anónimo disse...

É absolutamente notável o esforço do "blogger" em colocar na internet nomes como o de Gabino Ferreira ou Júlio Peres. Os meus sinceros parabéns. No conjunto de imagens valeria a pena colocar a do último álbum que gravou a que a Riso & Ritmo intitulou apropriadamente "Velha Guarda". Além de Gabino e Peres, inclui-se Frutuoso França, Júlio Vietas e José Coelho. Há ainda muito a fazer em termos de história do fado, nomeadamente resgatar as história de vida destes senhores!
Nuno Almeida Coelho

MLeiria disse...

Muito me honra o seu comentário. Bem haja! Por vezes tenho vontade de desistir porque parece que ninguém me visita, mas opto sp. por continuar, nem que seja para mais tarde recordar!...
O Fado é uma paixão. Quanto mais conheço, mais quero conhecer e mais admiro os nossos excelentes poetas de fado, compositores e intérpretes, nomeadamente os da "época de oiro do fado", do fado, fado.
"Para sentir o fado, fado/ e não canção que se entoa/ é preciso amor, passado/ e muita noite em Lisboa", dizia o Dr. Guilherme Pereira da Rosa e muito bem...

Paulo Conde disse...

Parabéns pelo site e pela lembrança de um grande fadista que foi Gabino Ferreira. No entanto é necessário corrigir o que está publicado na sua pequena biografia. O autor das letras "Vamos para as hortas" e "O fado está doente" não é Gabino Ferreira mas sim o poeta Carlos Conde. Aproveito o ensejo para conhecerem melhor este poeta: www.carlosconde.com.sapo.pt
Obrigado

Um abraço fadista,

(Paulo Conde)

MLeiria disse...

Ainda bem que deu pelo erro e que o denunciou para ser devidamente corrigido. O que eu queria escrever era "... com música da sua autoria" e não letra.Aqui fica feita a correcção que, posteriormente, vou tentar fazer na postagem original. Muito obrigada.
Parabéns também pelo seu blog que já coloquei nos meus favoritos.
Carlos Conde está entre os poetas (de fado)que mais admiro. Pelo que li, embora pouco, parece-me que Paulo Conde vai também "dar que falar"...
Saudações
OP

Anónimo disse...

Como seria importante que o Museu do Fado motivasse estes pontos de encontro esclarecendo questões fadistas. Devo dizer que estranhei atribuir tais autorias a Gabrino Ferreira, todavia nem vou confirmar, mas de facto o Sr. Paulo Conde, autor de um notável livro sobre o seu antepassado, tem absoluta razão. Cara Maria Leirioa nunca desista! Nuno Almeida Coelho

Anónimo disse...

Cara amiga este seu blog vale e muito, principalmente pela dedicação que se sente ter pelo Fado! É um espaço de tertúlia fadista de pessoas que dsicoradndo até, falam a mesma linguagem! Bem haja! Esta ideia de recuperar as vozes de outrora é brilhante! Tente aqui continuar a galeria de senhores da velha guarda, já tem o Gabino e o Peres, acrescente os outros! Seria absolutamente notável! Ai Deus e ué