quarta-feira, abril 09, 2008

FLORA PEREIRA - "SILÊNCIO, CORAÇÃO"












Soube, há momentos, que partiu, exactamente hoje, no dia em que completava 79 anos.



"Silêncio, coração / a vida é sempre assim /em tudo põe um fim /guarda dentro de mim / só a saudade".

Onde quer que te encontres, um beijo para ti, querida Flora!

10 comentários:

Aldina Duarte disse...

Inesquecível o momento em que ouvi Flora Pereira ao vivo!

Convite para visitar a minha nova morada da poesia!

Até sempre

Anónimo disse...

Fadista de rara sensibilidade na maneira única que dava a cada interpretação, tornando-a sua. Ouvi-la era um deleite pela finura com que interpretava e cantava cada verso, numa dicção clarissíma!
Flores de Verde Pino

Anónimo disse...

Uma bonita voz que não conhecia. É triste quando só tarde demais nos damos conta de vozes e talentos como o desta senhora. Pedro Fonteiro

Anónimo disse...

Foi sempre em clima de grande emoção que ouvia Flora, a sua voz despertava-me sentimentos. Ouvia-a atentamente inebriada pelo fino riacho que era a sua voz, mas senhora de grande força e coragem!
Maria Luísa Castanheira

Anónimo disse...

Nunca esquecerei uma noite de fados na Ajuda com a Flora Pereira e o Fernando Maurício. Que saudades destes fadistas! António Antunes

Anónimo disse...

As vezes que ouvi a Flora Pereira impressionou-me sempre muito pela capacidade de entrega, e de cativar sem "gritos" ou "arranques" de voz. Sem encenação alguma ou gestos gratuitos a sua figura cativava a audiência, impondo-se pela sua qualidade e uma voz límpida.
Nuno Almeida Coelho

Anónimo disse...

A Flora era uma serenidade de interpretação, mas (atenção!) não uma monotonia, de facto sem os "arranques" de voz como afirma o Sr. Almeida Coelho, mas certamente de uma vincada personalidade interpretativa. "Finura" como escreveu alguém. E é lamentável que não a tivessem conhecido, como se notou aqui. Eis um papel determinanate para tantas associações do Fado e o do seu Museu, divulgar estes "patrimónios vivos"! José Regaleira

Bruno Dias disse...

Ela era a Minha Tia Avó. Infelismente não tive oportunidade de a conhecer pessoalmente,irmã do meu avo que também nunca conheci pois faleceu antes de eu nascer, mas já a ouvi cantar, tinha uma vóz unica.
Pena que este país dê pouca importância aos seus artistas.

Será sempre um prazer ouvir-te cantar.

Anónimo disse...

Tinha uma voz lindíssima mas nem sempre se apresentava da melhor maneira, tendo recebido algumas críticas dos próprios proprietários das casas onde cantava. José Jaquetão

Anónimo disse...

Gostei sempre de a ouvir e fiquei pasmada quando li a notícia no DN e com um fotografia trocada. Que continue a cantar onde quer que esteja! Adorava ouvi-la interpretar o "Voltaste" ou "Sou tua". Emília Pereira